Mais um capítulo da sucessão na Sepromi

postado por Cleidiana Ramos @ 1:55 PM
28 de janeiro de 2011

Arany Santana ganha apoio de grupos culturais e religiosos para comandar a Sepromi. Foto: Antonio Queirós| Ag. A TARDE | 25.08.2004

E continua a novela da sucessão na Sepromi. Setores do movimento negro já estão impacientes com a falta de definição sobre o comando da pasta. E agora surgiu mais outro nome nos bastidores: Arany Santana.

Primeira secretária municipal da Reparação, diretora do bloco afro Ilê Aiyê e que está à frente da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes), Arany tem ganhado apoio de grupos culturais e dos que representam  religiões de matriz africana, com destaque para a Acbantu.

Os que já se manifestaram publicamente são Ilê Aiyê, Olodum, Malê, Muzenza, Cortejo Afro, Okanbí e os Negões, segundo um comunicado conjunto.

Além de Arany outros nomes já foram ventilados como candidatos à Sepromi: o deputado estadual Bira Coroa, do PT; a vereadora Olívia Santana (PCdoB); Sylvio Humberto, do Instituto Cultural Steve Biko; e Valdecy Nascimento, superintendente de política para as mulheres da Sepromi.


Medalha para Konmannanjy

postado por Cleidiana Ramos @ 12:37 PM
20 de setembro de 2010

Tata Konmannanjy será homenageado na Câmara. Foto: Fernando Amorim| Ag.A TARDE| 19.5.2006

Na próxima quarta-feira, às 19 horas, na Câmara Municipal de Salvador, Raimundo Nonato Pereira da Silva, mais conhecido por sua dijina, Taata Lubitu Konmannanjy, vai receber a Medalha Zumbi dos Palmares.

A homenagem é até tardia pelo belíssimo trabalho que ele faz à frente da Acbantu, uma insitutição com programas como a Rede Kodya, e que tanto tem defendido e batalhado pela cidadania do povo-de-santo. Parabéns a Konmannanjy e  ao vereador Gilmar Santiago, autor da proposta.


Seminário vai discutir proteção para povos tradicionais

postado por Cleidiana Ramos @ 5:47 PM
6 de agosto de 2010

Taata Konmannanjy preside a Acbantu, organizadora do encontro. Foto: Henrique Coelho| Divulgação

Na próxima segunda-feira, das 9 às 17 horas, o Ilê Iyá Omin Asé Iyá Massê, mais conhecido como Terreiro do Gantois, vai sediar o seminário Povos de Terreiros; Diversidade Étnica na Convenção nº 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O seminário é organizado pela Acbantu, com o apoio do Gantois, Povos de Terreiros do Estado da Bahia, Rede Kôdya, Rede de Educação Cidadã, Ipac, Fundação Pedro Calmon e Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza.

A Convenção 169 da OIT foi assinada pelo Brasil em julho de 2003 após 11 anos de tramitação no Congresso Nacional. Ela defende, internacionalmente, os direitos dos povos tradicionais como sociedades permanentes e com direitos a que os Estados reconheçam sua diversidade cultural e étnica, além de oferecer-lhe proteção e incentivá-los a estabelecer suas prioridades de desenvolvimento.

A Acbantu é membro titular da Comisão Nacional de Desenvolvimento Sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT) e vem atuando nesste espaço para a inserção dos povos de terreiros como povos tradicionais, além de participar da elaboração e implantação de políticas públicas que promovam seu desenvolvimento social e respeitem a sua identidade.

O seminário terá três painéis. O primeiro será das 9 às 12h30 e terá como tema as especificidades étnicas de várias comunidades. Das 14 às 16 horas, representantes de governo irão falar sobre políticas públicas para a inserção dos povos de terreiros.  O terceiro painel será das 16h20 às 17 horas e fará a sistematização das conclusões do seminário.

Para mais informações tem o telefone da Acbantu (3321-5135). Para acessar o site da instituição é só clicar aqui.


Acbantu lança escola

postado por Cleidiana Ramos @ 4:46 PM
7 de junho de 2010

Taata Konmannanjy lidera a Acbantu. Foto: Henrique Coelho| AG. A TARDE

Notícia boa: a Acabantu vai lançar daqui a pouquinho, às 18 horas, a Escola de Formação de Povos e Comunidades Tradicionais Lubitu Kwa Ndeembwa.

Só pelo número de apoios dá para perceber a importância da iniciativa: Fundação Cultural Palmares, Rede de Educação Cidadã, Rede Kôdya, Prodeb e Ipac.

A escola de formação vai ter o  Conselho Ballongi (Conselho e Educadores) formado por representantes de povos e comunidades tradicionais; Conselho Mbuta, formado por mais velhos; Conselho Bakeentu Baloongoki, que é formado por mulheres aprendizes e já realizava cursos como o de bordado afro, culinária, dentre outros; e o grupo de Estudos Linguísticos Taata Tawshê, que realiza pequisa sobre cultura bantu nas Américas, cursos introdutórios de kikoongo e publicação de cartilhas sobre o tema.

A cada mês será escolhido um tema para ser discutido em atividades como rodas de conversas, exposições seminários e oficinas. A metodologia da escola permite a participação de pessoas de variadas faixas etárias. Logo, logo dou mais informações sobre a escola, pois vou dar um pulinho lá.

A Acbantu já faz um brilhante trabalho com ações como a Rede Kôdya que acontece na área de segurança alimentar e já distribuiu milhares de toneladas de comida. A instituição é comandada pelo bravo Taata Konmannanjy.


Homenagem aos caboclos

postado por Cleidiana Ramos @ 4:39 PM
27 de julho de 2009
Debate faz homenagem aos caboclos. Foto: Margarida Neide | AG. A TARDE

Debate faz homenagem aos caboclos. Foto: Margarida Neide | AG. A TARDE

Um debate bem interessante está sendo promovido pela Acbantu, na próxima quarta-feira, a partir das 15 horas, na ]Casa de Angola (Baixa dos Sapateiros). Estarão juntos, falando das suas lutas e perspectivas, representantes do povo de santo de Salvador e mais tupinambás e pataxós hã hã hãe.

A atividade intitulada Terra Indígena, Território Africano: Povos Brasileiros  é uma homenagem aos caboclos, entidades chamadas de “encantados” e cultuados nos candomblés baianos, num encontro simbólico das heranças africanas e indígenas.